O Piano




Notas e tons, jobinando as canções pra você
Solta um bemol, gargalhadas em lá
Esse piano, instrumentando a nossa ilusão
Teclas e sonho, arremedos nos dedos das mãos
A mão entende o que o meu coração quer dizer
E quando se estende, procura você
E esse piano, extensão dos meus braços, remir
Alcança o sol para lhe oferecer
O primeiro dó
O primeiro amor
Paixão sustenida, razão diminuta
E a clave arrebenta em mi
São tantas oitavas
Mas todo piano
Termina em si.


Música em parceria com Anderson Ribeiro e Gilton Lobo.

Comentários

Djenal disse…
Ah, essa música eu ouvi em primeira mão, e à domicílio, com a presença adiposa de Alvinho, Andinho e Giltinho - os três mosqueteiros adiposos da música sergipana e adjacências.
splendid disse…
After reading the information, I may have different views, but I do think this is good BLOG!
runescape powerleveling
Analuka disse…
Bonito poema! De quem é a imagem delicada?... Abraços alados e musicados.
Analuka disse…
...E onde posso ouvir a música?...
Anônimo disse…
Estavam muito inspirados, a música é linda, e o cantor tem um talento especial para o violão. Amei belismo toque mais vezes Alvinho.

Postagens mais visitadas deste blog

A síndrome do chifrudo imaginário

Quero ser médico do Detran!

Gordo na academia