Eis aqui a grande invenção da internet! A inimaginável fusão do boteco, ponto de discussões filosóficas e nascedouro das soluções para todos os problemas políticos, econômicos e sociais do mundo, com o hospício, furna da mais pura sinceridade, livre das convenções, amarras e obrigações sociais. Coerências ou devaneios, tudo vale. Tudo é possível. Portanto, seja bem-vindo! Entre, sente, tire a camisa de força e tome mais um gole, sem pressa para pedir a saideira.

segunda-feira, junho 05, 2006

Eu não mordo travesseiro!

Os mordedores de travesseiro que me perdoem, mas não sou homossexual. E não digo isso em tom pejorativo ou, muito menos, preconceituoso. Respeito os homens que têm desejos sexuais por outros homens e até admiro os assumidos, aqueles que, no quesito “coragem pra encarar a nossa sociedade hipócrita”, são infinitamente mais machos do que eu ou qualquer outro hetero que se preze. Talvez até disponham de um culhão a mais no saco, quem sabe? Não serei o cientista a fazer essa constatação.

Mas, apesar de não possuir trejeitos femininos – pelo menos, acredito que não – e de jamais ter me deparado com o desejo de sentir um barbudo fungando ao meu cangote e arranhando-me o pescoço com a barba mal feita, fui rotulado como sendo “do babado”, por um jornalista sergipano, amigo de uma outra colega de profissão. Detalhe: ele é homossexual e baseia o seu argumento no fato de eu andar com amigos homossexuais. Assim como ele.

Pensamento retrógrado o desse pobre rapaz... Numa época em que as mulheres já comprovaram sua força e conquistaram independência, inclusive, para manter relacionamentos amigáveis com os homens – sem aquela história de que uma relação fraternal entre sexos opostos é inviável, à exceção dos casos em que elas são feiosas, definitivamente incomestíveis –; numa época em que o movimento gay ganha a orla de Atalaia, arrastado por trios elétricos e com bandeiras em riste para exigir respeito e igualdade, eis que me surge um homossexual pra, num ato preconceituoso, descolorir o arco-íris da diversidade e da liberdade de opções.

Decerto, esse jovem jornalista jamais me enxergaria como amigo. Uma aproximação minha e poderia eu estar correndo sério risco de sofrer um assédio sexual... Mas ainda bem que nem todos os homossexuais pensam desse jeito. Se assim pensassem, estariam ainda mais enfronhados às malhas do preconceito.

Tenho amigos homossexuais sim, e os amo da mesma forma que amo os heterossexuais! E daí? São meus amigos e ponto final! Pessoas sensíveis, inteligentes, sensatas, acolhedoras e companheiras nas horas mais difíceis – aquelas em que muito “amigo” hetero de cachaça some do mapa!

Quer saber? Não creio que os verdadeiros valores humanos perpassem a opção sexual, e não abro mão de uma grande amizade com um homossexual inteligente por relacionamentos sociais interesseiros e vazios, pra não dizer burros. Mais vale um amigo homo inteligente no coração, do que 1.000 heteros idiotas e preconceituosos voando.

É uma pena que eu e o referido jornalista, que por razões éticas não vou revelar o nome, não possamos construir uma bela amizade. Ele não acredita na amizade homo-hetero. Quer dizer, hetero-homo, pela ordem das pessoas. Mas, também, não será pela atitude dele e de um bando de outros trogloditas que vêem com maus olhos a companhia de um homossexual – numa mesa de bar, numa casa de shows, numa barraca de praia, no shopping ou em qualquer outro lugar em que os amigos verdadeiros costumem se encontrar – que eu irei deixar de cultivar novos amigos, nem muito menos sairei por aí com um questionário em baixo do braço: “quer ser meu amigo? Então responde aqui, por favor. Você já deu o Zé de porco? O toba? O bufante? Se quiser minha amizade, marca com um “x” na opção “não” e assina por extenso!”. Sinceramente, isso seria ridículo. Tanto quanto o preconceito do meu colega de profissão.

18 comentários:

patylob@o disse...

Julgar as pessoas pelas roupas que elas vestem,pelos amigos que possuem,os bares que freqüentam ou seja lá pelo que for...é uma pena,porque se perde a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas!!!!

J.b. disse...

ei velho muito bom essa tua iniciativa, espero q vc possa sempr esta postando para seu grand amigo estará sempre aki a ler e comntar. tee+

Rodrigo - jornalista também, viu? disse...

eu queria ter escrito isso...

July disse...

OiOi Tah massa o texto...
Mto grande!!! mass...
hehe
Bjuu te adoro...

Billy disse...

Grande brother!
bom texto meu rei!

gde abraço!

silvio oliveira disse...

Rapaz, que texto fantástico!!! Você não foi meu colega de turma, né? EII quem é esse rapaz, protagonista do texto? Tem que fazer outros textos desse tipo. Acredito que uma das funções da comunicação também é dizimar o preconceito e todas as vicissitudes que o homem carrega e o deixa a margem da verdadeira essencia humana: saber viver em sociedade.

Abração e continue bridando os colegas com bons textos

Léo disse...

Salve, salve... Promessa é dívida, heim rapaz! Muito bacana sim. Mas vai rolar direito de resposta? E para apimentar, posso dizer que conheço meia dúzia de homo que são mais preconceituosos que uma dúzia dos homens mais conversadores possíveis. Eles não nos respeitam (os heteros), nem se respeitam! É foda! Mas também conheço alguns que são gente boa demais da conta. Seja bem-vindo a blogsfera e quero ver a animação para atualizações diárias... Falou e parabéns...

Medeiros disse...

Um acéfalo sempre baixa nos blogs...O que esse Léo quis dizer realmente? Como se não bastasse faz um comentário com texto ambíguo(para não usaroutro predicado). Se a idéia era apimentar, caro Léo, o resultado foi estéril. No máximo fez desandar o caldo. Afirmar que "alguns são gente boa demais da conta" e " eles não 'nos' respeitam, nem se respeitam",é bastante indicativo de um preconceito que sequer é latente. Como dizia o reacionário Nelson Rodrigues, genial de vez em quando, "é um cretino fundamental".
Álvaro, o texto é magistral, e isso, a mim, não me surpreende, dada a sua autoria. O mote é sempre bem-vindo e fomenta a sacra diversidade. Tô sempre na sua platéia amigo.

Aflitos, Ainda Lembro e Memorial do Inferno disse...

Querido jornalista...
Achei seu texto muito bom... Eu mudaria apenas aquelas expressões finais da pergunta no formulário... Colocaria: Você é homossexual?
No mais, está brilhante...
Valdeck Almeida de Jesus
Poeta, escritor, homossexual
www.jeanwyllys.com

Malena Muller disse...

Gostei muito do texto... Pode ter certeza q estarei sempre passando por aq. Muito boa essa iniciativa... Grande beijo!

Rastafari disse...

Veado é o tipo mais metido à merda que existe! Um tal de Léo escreveu aí, logo depois apareceu um "super intelectual" dizendo que o cidadão é um acéfalo...
Jah não criou terceiro sexo, tampouco aprova estes adeptos de sodoma e gomorra. Morte à esta escória da sociedade!!!

Jah Rastafari H.I.M. !

bobfleming disse...

Lembra-se do ditado"DIZE-ME COM QUEM ANDAS QUE TE DIREI QUEM ÉS"? "qUEM COM PORCO SE MISTURA FARELO COME"? qUEM TEM O QUE SEU DA A QUEM QUER.sOU MAIS VOCÊ ABORDANDO TEMAS ESPORTIVOS.

Anônimo disse...

Parabéns! Um belo texto,como só você faz peq.É assim que se responde a atitudes repugnantes.

Anônimo disse...

Na minha concepção viado merece morrer, deveria ser feito um transatlântico para transportar todos viados e explodir no meio do oceano...
Homem come Mulher e Mulher dá pra Homem, essa é a ordem correta da vida, o resto é lixo...

Etevaldo disse...

Estamos loucos pra criticar a covardia de Parreira em sacar Ronaldo e escalar Robinho de primeira porra!

Muda este tópico logo!
Sugiro depois da Copa (quando "nos desalienaremos") falarmos de política, pesquisas eleitorais, etc.

Jb disse...

meu amigo como é q nós iremos linkar s vc não atualiza esse blog, olhe o serviço rpz e atualize logo.

Anônimo disse...

alvaro vejo que voce continua da mesma maneira de qdo criança, sem preconceitos. Sempre respeitando as pessoas da forma que elas são. Isto e muito bom pois o preconceito e um sentimento muito mesquinho e pouco dignificante,continue sendo esta pessoa brilhante,e escrevendo bem pois o jonalismo lhe dá o direito de inverter a ordem do discurso ,com verdades,sem preconceitos, Tenho muito orgulho de voce. Obs. mude o fin do texto que ele fica perfeito, sem preconceito.Beijos ires maia muller

Anônimo disse...

É isso ai meu filho.Gordo tambem é gente.Aliás, você já viu um gordo triste?