Gordinho enlatado? NEM MORTO!


Está cada dia mais difícil ser gordo nesta ----- de mundo estereotipado. Como se já não bastassem as espremedoras roletas de ônibus e terminais, as poltronas apertadas, os preços abusivos dos produtos dietéticos – artifícios para os fofinhos inconformados que precisam sair da crise existencial –, agora somos obrigados a andar pelas ruas com roupas apertadinhas, parecendo sardinhas na lata. Assim, não tem obeso que agüente, caramba!

Nós, os gordinhos, somos heróis natos. Mesmo antes de darmos os primeiros passos ou falarmos as primeiras palavras, já aprendemos a enfrentar as agruras proporcionadas pelos quilinhos a mais.. entre elas, as piadinhas e os apelidos que, acreditem, nos perseguem por toda a vida. De “bochechudinhos” nos primeiros cinco, seis anos de existência, passamos a ser tachados como rolhas de poço; baleias; elefantes; hipopótamos, free willys; cocôs de dinossauro; bujões de gás; modelos da Butano... e, ainda assim, conseguimos – entre lágrimas escondidas e sorrisos amarelos –, sair incólumes da avalanche de insultos provocada pelos magricelas sem sal... Mas, daí a quererem nos ensacar nos modelitos magérrimos da moda atual, já é golpe baixo, né não?

Eu mesmo, nem consigo mais me empolgar com as roupas que, vira e mexe, atêm os meus olhos às vitrines por aí a fora. Nas três últimas vezes em que isso aconteceu e resolvi coçar o bolso para comprar uma camisa, saí das lojas literalmente frustrado... O diálogo é invariavelmente o mesmo:

– Eu: “Vocês têm tamanho GG?”

– Atendentes: “Hum.. GG não, mas nós temos o G.. Tem certeza de que o GG não é demais pra você?”

Sem saber se as simpáticas atendentes disparam a pergunta por se enganarem com o meu corpinho de Bob Esponja – pra quem não me conhece, sou quadrado, de pernas e braços finos, mas com uma gigantesca e bem criada barriga de chopp escondida por debaixo da camisa – ou simplesmente por quererem me empurrar o produto e garantirem suas comissões, acabo aceitando experimentar a tal G... E é aí que a minha teimosia se transforma em ódio...

Já não se faz mais GG’s como antigamente. O incômodo é tamanho que, para um gordinho como eu, até a movimentação dos braços fica inviável. Além do que, sejamos sinceros: nós, os cinturinhas de ovo (outro apelido que esqueci de citar acima), DETESTAMOS roupas apertadas! Primeiro, por que desenham as boas e velhas dobrinhas, principalmente aquela camada mais adiposa que, quando cercada por uma calça jeans, acaba se inchando ao ponto de encobrir a fivela do cinto. Segundo, por que nós, os “bolos fofos” (olha outra alcunha aí!), gostamos de nos sentir bem, à vontade. Não fazemos questão de andar amarrados somente pra mostrar músculos que cairão com o tempo. Até porque, diga-se de passagem: não dispomos desses músculos.

Outro detalhe: porque cargas d’água as camisas masculinas agora vêm com mangas encurtadas e desenhadas para chegar, no máximo, até a altura da cintura do cidadão? Quem foi o estilista que resolveu acabar com o nosso direito de botar a camisa por dentro da calça? Para um gordo, essa “tendência” é a morte, principalmente, porque ele não pode sequer cogitar a hipótese de levantar um dos braços, que a famosa “pochete” já se esparrama por debaixo da blusa...


É por essas e outras que resolvi usar o Botecospício para exprimir minha revolta com toda essa situação e dizer aos gordinhos de plantão que aposto todas as minhas fichas no fato de ser esta mais uma estratégia dos magrelos para acabar com nossa alegria de viver, com a cara de felicidade que só nós expressamos, com aquele brilho no olhar que reluz diante de uma picanha, um cupim, uma feijoada ou uma lasanha.

Deixo um aviso aos magros: Atenção seus “sopas de osso” (vocês também têm apelidos)! Não só somos mais felizes, como mais fortes e inteligentes, pois enquanto vocês queimam gorduras nas academias, nós gastamos neurônios tentando entender justamente que sentido há em ficar levantando, abaixando, puxando e empurrando peso, ou muito menos em sair correndo pelas ruas feito louco... Não. Definitivamente, eu não sou ladrão!

Mas, tudo bem. Se é guerra que vocês querem, podem declarar a peleja! Estamos aqui, garfos e facas a postos, para trucidar qualquer pouca carne que parar em nossa frente. Vocês não perdem por esperar...

Comentários

Paty Lobão disse…
Adorei o novo texto!!Eu tenho roupa G....imagine que normalmente uso P.Acho que só terapia resolve isso!!!
Léo disse…
Como assim, rapaz! O problema é que você anda trabalhando demais, está precisando malhar um pouco, fazer academia, ir correndo da Orla de Atalaia até a Orlinha do Industrial. A vida não é feita só de chopp e de compras... kkkkkkkk! Parabéns!! Pra variar, o texto está genial!
Leonardo Garcia disse…
Alvinho, cara, teu texto tá bom demais cara!!!!
Mas a atualidade é outra, perdi uns "bons" e "consideráveis" quilos pra voltar a usar certas roupas que não cabiam mais em mim, hehehehe...
Falando em perder quilos, e a minha caixa de cerveja da aposta???
Abração Alvinho.
ETEVALDO disse…
Só não invente de fazer sua dieta maluca de novo (comer maçãs o dia inteiro. QUEM GOSTA DE GORDO É RAICA, SÓ QUE ANTES DE SER GORDO, TEM QUE TER DINHEIRO!

Vamo marcar o baba porra! Playstation não dá boa forma à ninguém!
E SOLTA O LEÃO!
Anônimo disse…
E alvinho que bom que você entende nossa situaçao diante da sociedade,apartir do seu texto vou ficar bem mais animado ao tomar uma caixa de cerveja ou degustar de uma deliciosa feijoada e esse negoço de roupa e um problema uso m mais so compro g depois das festas vamos fazer uma dieta!! abraço o texto ta bom pra porra! leandro costa!e tem um detalhe barriga grande e sinal de investimento, se os magrinhos n tem barriga e pq não tem condiçoes de investir e as bubus estao de olho nisso!!!rsrsrs
marlucescardoso disse…
É cara tá pensando que ser gordo é fácil ? E veja que a maioria dos comentários aind acha que a gente tem que emagrecer, porque será que pensam que só os magros podem ser felizes ? E veja que tem movimentos pra tudo que é lado, mas pra nós nada ! Esse lance de roupa então é o Ó! Imagine que fui a C&A procurar umas roupas peguei aquela pá de roupas GG e 48, nada deu é claro, fui saindo muita puta, quando a funcionária me chama :
-Senhora as roupas tem que voltar nos cabides !
Eu azeda !
- Querida quem trabalha aqui é voce e não eu, agora imagine, além de nada dar ainda ter que pendurar e arrumar, é só o que faltava !
Virei as costas e fui embora, e passei 6 meses sem coragem pra procurar novas roupas, sem falar naquelas calças que a gente nem feche e ainda corre o risco de agarrar algumas coisas por baixo !
E pra mulher é muito pior, pois os homens a barriga é sexy, e os filhos da puta ainda reclamam das gordinhas e não as querem, é mole ?
Pra que falar do texto , seria redundância, sabe que continuo sua fã, cada vez melhor !
Billy disse…
Colé brother...ainda bem um texto sem viadagens..hehehe.. esse aí ta legal!
rapá, no meu caso é foda encontrar uma camisa P legal. M já fica grande.

e eu tento engordar e nada... kda um no sua dilema.
Manoel Coutinho disse…
Oi Alvaro,

Finalmente atualizou né!!!
Mas os dois textos estão bacana, como sempre, afinal conheço o seu trabalho de longas datas...
Ivy disse…
Como sempre um deleite a cada palavra lida...eita dom danado!!!
Mas cá pra nós e todos que lerem este comentário:Onde fica a hipocrisia entre ser "reconchudo" e não ter preferências por mulheres mais "encorpadas"?!(qto eufemismo!!!)Afinal, até hj só te vi desfilando com mulheres de corpinho violão, né não?!huahuahuahua
"Piada" de amiga, viu?!Vc sabe que eu te adoro e faço parte do clube!!!Mas confesso que fui muito amarga agora kkkkkk xêro!!!
Eduardo Muller Jr. disse…
Pois é, apesar excelente fenótipo, venho como forma de repúdio concordar com as expressões verbais de meu caro irmão Alvaro Muller, justamente porque Beleza, padrão imposto pela sociedade, é nada mais que efêmero. E como tudo passa menos a nossa inteligencia , que se danem os magrinhos. hehehehehhe!
Juliana Batista disse…
Oi Álvaro!!!
Adorei o texto!!!!
Esta show!!!!
Finalmente esse blog atualizado!!! hehe
Bjo

Juliana Batista
Michell Angelo disse…
Muito maneiro o texto me identifiquei.. kkkk com certeza não irei deixar o chop de lado e nem aquela carne do sol.. =)
Anderson Ribeiro disse…
Cara, dei vexame na redação. Ainda bem que não tinha quase ninguém por aqui. Quem se encontrava ficou querendo saber o motivo das gargalhadas, mas não tinha fôlego pra falar. Esse tá ótimo. Melhor, como vc já sabe, do que o do bandeirinha. Tem que ralar muito mais pra conseguir fazer outro igual a esse.
tenho dito!!!!

Eu Ribeiro
Sopa de osso disse…
kkkkk Pense que eu adorei o apelido que vc colocou nas magras: “sopas de osso”...essa foi boa!!nunca ouvir falar, mas me identifiquei...kkkkkkk

Adorei o texto Alvinho!!Deixo aqui minha solidariedade com vc "cinturinha de ovo" ou “bolo fofo", sei lá, como vc achar melhor!!!kkkkkk

beijinhossssss

Postagens mais visitadas deste blog

A síndrome do chifrudo imaginário

Quero ser médico do Detran!

Gordo na academia