Eis aqui a grande invenção da internet! A inimaginável fusão do boteco, ponto de discussões filosóficas e nascedouro das soluções para todos os problemas políticos, econômicos e sociais do mundo, com o hospício, furna da mais pura sinceridade, livre das convenções, amarras e obrigações sociais. Coerências ou devaneios, tudo vale. Tudo é possível. Portanto, seja bem-vindo! Entre, sente, tire a camisa de força e tome mais um gole, sem pressa para pedir a saideira.

terça-feira, maio 18, 2010

Dunga e os zangados

"Dungaburro'. Este foi um dos tópicos mais comentados do twitter na semana passada, depois que o técnico da Seleção Brasileira anunciou a convocação para a Copa do Mundo 2010. Um fenômeno, o Dunga. Conseguiu injuriar toda a nação mesmo convocando praticamente o mesmo time que venceu a Copa das Confederações, a Copa América, goleou Portugal, carimbou o passaporte para a África do Sul com antecedência, fora de casa e diante da rival Argentina.
Não é difícil entender porque o Brasil vitorioso do Dunga desagrada. Este é o preço de quem comanda a Seleção de um país de torcida apaixonada, de imprensa passional, capaz de elogiar e execrar o mesmo time em um curto espaço de tempo, na tentativa desesperada de pautar o treinador. Danem-se os números, o povo - incitado por esta imprensa volúvel - quer ver é o Neymar pedalando, o Ronaldinho Gaúcho fazendo firulas circenses. Pois eu prefiro dar a cara à tapa, seguir na contramão da opinião pública: Dunga está mais do que certo. Se eu fosse o técnico do Brasil, no meu time não estariam Doni, Gomes, Gilberto, Michel Bastos, Josué, Júlio Baptista e Grafite. Mas isso era para ter sido visto antes. Agora, às vésperas da Copa, a equipe do Dunga tem dado resultados, tem sido eficiente e isso é o que importa. Fazer o quê?
Há quem não concorde com os argumentos do Dunga, sobretudo o do compromisso com a camisa da Seleção Brasileira. A estes, faço questão de lembrar que o Ronaldinho Gaúcho ficou três anos sem jogar bola por desinteresse; e, mais do que isso, o Brasil perdeu uma Copa, dentre outras coisas, por falta de compromisso do lateral esquerdo Roberto Carlos, que resolveu ajeitar a meia durante uma perigosa cobrança de falta da França.
Há quem cobre o futebol arte. A estes, cabe avisar que futebol arte nos enche os olhos, mas nem sempre dá resultado. Messi é o melhor jogador do planeta, mas nunca fez nada pela seleção argentina. Espero que continue assim na Copa. O Neymar e o Ganso de hoje são o Diego e o Robinho que há pouco tempo atrás saíram do Brasil como 'os meninos da Vila' para perder as Olimpíadas. Detalhe: eram tidos como o melhor escrete olímpico brasileiro de todos os tempos.
Somando-se tudo isso aos resultados do Dunga e a outras questões que precisam ser consideradas durante a formação de um bom elenco, como o companheirismo, por exemplo, defendo o carrancudo treinador com unhas e dentes. Temo apenas pela falta de um reserva do Kaká, mas quero acreditar que o Dunga já tenha um esquema tático para superar esta carência. Acho isso quase impossível, mas agora só me resta acreditar, afinal, também sou um fanático torcedor brasileiro.

6 comentários:

Andre Ramos disse...

Grande Álvaro,

Concordo plenamente com você. Também estou na contra-mão da torcida brasileira, mas acredito que Dunga manteve a base vencedora e tem muita chance de se dar bem. Só não concordo com os seus não convocados, eu só faria algumas trocas: Doni por Vitor, do Grêmio (Gomes fez uma excelente temporada na Inglaterra); Gilberto e Michel Bastos é o que temos de melhor atualmente na lateral-esquerda (sim, estamos numa entressafra); também não conovocaria Josué (chamaria o Ganso, afinal,um pouco de ousadia e elemento-surpresa é preciso); chamaria Julio Baptista (sempre foi muito bem no time de Dunga e tem qualidades) e Grafite (precisamos de um centro-avante trombador). E não chamaria Kleberson (chamaria no Ronaldinho Gaúcho no lugar, pela experiência). Grande abraço, amigo !!

Álvaro Müller disse...

Amigo André, pode me chamar de louco, mas eu levaria o Léo Moura para a lateral esquerda. O cara é um bom apoiador, velocista e tem fôlego para os 90 minutos. Grande abraço!

Viva La Brasa disse...

Sei não, hein... Sou mais o River Plate de Carmópolis.

Anônimo disse...

Minha opinião é a mesma do rubro negro Álvaro.. levaria o Léo Moura... :)

Álvaro Müller disse...

Alto lá, caro "anônimo"! Eu sou rubro-negro, sim, mas baiano!!! Antes que alguém pense que eu sou flamenguista, é bom deixar claro. Abraço e obrigado pelo comentário!

Força da palavra disse...

Esse Alvinho está querendo apenas ser do contra... Parece a tática de Augusto Bezerra... Um abraço.